Objetivos com ERPA forma como estes registros

Um ERP registra informações referentes a clientes, fornecedores, funcionários, produtos, vendas, compras, pagamento, impostos entre outras.

Objetivos com ERPA forma como estes registros se “conversam” faz parte do desenho de processos do ERP, é neste momento que o ERP tem a função de ser um integrador de processos com base nas regras de negócios e definições parametrizadas pela empresa.agencia_de_publicidade_volta_redonda

Claro que o ERP faz muito mais pela empresa, ele mantém todos os dados registrados e com base nestes dados é possível trabalhamos informações mais abrangentes e refinadas, tais como; “Qual nosso produto mais vendido, Quem é o melhor cliente da empresa, Qual época do ano mais se vende determinado produto, Qual a margem do meu produto” com o registro correto dos dados temos informações importantes sobre o negócio, aumentando a competitividade no mercado.

Com base no exposto acima, o ERP organiza o trabalho na empresa aplicando regras de negócios e parâmetros definidos para atender os processos e tarefas diárias feitas pelos funcionários das empresas.

5. Como o software ERP é utilizado atualmente nas empresas?
Como as empresas usam ERPSegundo pesquisas realizadas pelo Aberdeen Group (consultoria americana) estima-se que apenas 27,6% das funcionalidades disponíveis no software ERP são utilizadas.

Atualmente no Brasil e na América Latina, o ERP é utilizado de forma simples , ou seja, muitas funcionalidades e rotinas não são utilizadas, por desconhecimento ou dificuldade de organização interna das empresas.

A maturidade de gestão das empresas com o ERP ainda é tímida e com foco principal em processos básicos de organização, ainda assim nestes processos, com alto índice de retrabalho e não-confiabilidade dos dados gerados.

Um dos maiores percalços para que as empresas utilizem o ERP de forma mais ampla e com maiores resultados é a correta operacionalização dos processos básicos, processos geradores de dados, como por exemplo; a entrada e saída de matéria-prima do estoque, se este processo estiver rodando de forma eficaz, a acuracidade da quantidade em estoque no momento do inventário seria altíssima, por exemplo; o sistema informa que temos 100 peças e na contagem física confere-se que temos 100 peças mesmo, com base em informações corretas, podemos;

Comprar matéria-prima com base na avaliação da média de consumo;
Calcular a curva ABC de matéria-prima;
Calcular a quantidade de estoque de segurança entre outros;
E no momento do reabastecimento teríamos a tranquilidade sobre a quantidade a ser comprada é realmente a necessária, evitando assim, desembolsos financeiros desnecessários.

Webinar: Como me tornar um consultor de ERP?

6. Quais os principais benefícios atingidos pelas empresas com a utilização do ERP?
Os principais benefícios que as empresas têm com implantações bem-sucedidas de ERP são os seguintes;

Benefícios Tangíveis

Ocorrência

Redução de estoques

32%

Redução de Pessoal

27%

Aumento de Produtividade

26%

Redução no tempo de ciclo de Ordens

20%

Redução de tempo de ciclo de fechamento contábil/financeiro

19%

Redução de Custos de TI

14%

Melhoria em processos de suprimentos

12%

Melhorias na gestão de caixas

11%

Aumento em receitas / Lucros

11%

Melhoria em Transportes / Logística

9%

Melhorias em processos de manutenção

7%

Entrega no Prazo

6%

Fonte: Colangelo Filho (2001, p.53) Opção 1
Opção 2Visão Departamental: Módulo Contábil, Financeiro, Compras, Faturamento, Estoque entre outros, com esta visão é possível manter os processos de cada departamento dentro do mesma tela, facilitando a vida dos usuários e o controle sobre eles, pois não teremos pessoas não envolvidas com o processo de folha de pagamento acessando este tipo de informação, nem funcionários da produção com acesso a lançamentos contábeis.
Opção 3
Opção 4Visão por Segmento: Avaliando os segmentos das empresas, claramente temos a ciência que cada uma tem suas particularidades, e neste caso, a visão departamental atende a especificações gerais, mas são necessários módulos para atender unicamente algum processo do segmento, por exemplo, uma empresa de Plano de Saúde tem um processo específico que visa atender apenas as suas atividades, diferente de uma empresa de comércio exterior que terá que executar processos de despachos aduanas, por exemplo, neste caso podemos ter módulos específicos para segmentos de mercado, chamados Verticais.
Opção 5
Opção 6
Opção 7Os Módulos com a visão departamental visam suportar módulos Verticais na execução das rotinas padrões e que pouco muda de empresa para empresa, como Contabilidade, Contas a Pagar e Receber, por exemplo.

Mesmo o ERP sendo dividido por Módulos, os seus dados são armazenados de forma única, independente do módulo que acessará.
Opção 8
Opção 9Investimento foi de US$ 450 milhões em três anos.
A migração de serviços se concentrou na transferência de quase 1,2 mil microsserviços de data centers para o Google Cloud Platform.
O Spotify migrou seus dados e serviços para o Google Cloud Platform com investimentos de US$ 450 milhões em três anos. Segundo o Google, a plataforma de streaming de músicas tornou-se um cliente referência, não apenas pela sua marca e escala, mas também pela reputação como uma empresa centrada em engenharia e orientada por dados.

Além de evitar que desenvolvedores se preocupem com provisionamento e manutenção de infraestrutura, a empresa destaca que também queria aproveitar algumas das inovações do Google Cloud, especificamente o data warehouse em nuvem BigQuery, Pub/Sub para envio de mensagens, além da ferramenta DataFlow para processamento em lote e streaming.

“Se pensar na quantidade de esforço necessário para manter a capacidade de computação, em armazenamento e rede de uma empresa global que atende a mais de 170 milhões de usuários, isso é uma quantidade considerável de trabalho”, comenta Ramon van Alteren, diretor de engenharia do Spotify.

O plano de migração atual foi formulado em 2015 e dividido em duas partes: serviços e dados. A migração de serviços se concentrou na transferência de quase 1,2 mil microsserviços de data centers para o Google Cloud Platform. Os três principais objetivos durante a migração, de acordo com van Alteren, foram minimizar a interrupção do desenvolvimento do produto, terminar o mais rápido possível para evitar o custo e a complexidade da execução em um ambiente híbrido, além de garantir que o Spotify não tivesse nenhum serviço executando em seus data centers.

A migração de serviços começou com as dependências de mapeamento, já que a arquitetura no Spotify significa que cada microsserviço depende de 10 a 15 pessoas para atender uma solicitação do cliente. Isso significa que uma migração “big bang”, em que tudo para, não era uma opção, pois os clientes esperam um tempo de atividade constante do serviço. Em vez disso, as equipes de engenharia do Spotify receberam a tarefa de transferir seus serviços para a nuvem em um sprint de duas semanas, período em que pararam efetivamente qualquer desenvolvimento de produto. Isso também permitiu que essas equipes começassem a avaliar sua arquitetura e desativassem qualquer coisa desnecessária.

Otimize o uso do seu ERP agora!

Segundo a companhia, uma coisa que o Google Cloud fez especificamente para o Spotify durante a migração é a opção Virtual Private Cloud (VPC). “Isso permite que você construa de forma semelhante a uma rede interna que conecta vários projetos e eles podem cruzar conversas”, disse van Alteren. Uma vez que a migração estava em fluxo total, a equipe de migração central começou a induzir secretamente falhas nesses sistemas de nuvem, registrando como as equipes reagiram na nova arquitetura.

“Isso ajudou a garantir que os sistemas de monitoramento fossem adequadamente estendidos para a nova implementação na nuvem, se uma equipe não percebesse, Finalmente, tivemos esta cartilha em que eles poderiam começar a usar os modos de falha na nuvem que talvez não tivessem no passado”, explica Peter Mark Verwoerd, arquiteto de soluções do Google.

A empresa comenta que com a migração, os desenvolvedores estão com mais liberdade e maior escala, sem sacrificar a qualidade do serviço. “Qualidade de serviço é algo que medimos diligentemente e não houve degradação”, disse Van Alteren. “Os benefícios incluem nosso canal de entrega de eventos, que carrega os pagamentos de royalties para detentores de direitos. Quando mudamos para a nuvem
Opção 10


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/vicman10/brasmid.com.br/blog/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273